Uberaba contra a pedofilia
Aos Pais
União dos Jovens e Estudantes do Brasil - UJE Brasil
Hoje a data é     Contato por email  
 
O que é Uberaba contra a PEDOFILIA?
O que é a UJE?
Junte-se à nós
Recado aos Pais
Recado as Crianças
Seja parceiro
Dúvidas sobre a pedofilia
Leis Brasileiras
Notícias
Contato
 
 
 

 Aos pais

Vocês ensinaram o seu filho ou sua filha a comer, andar, falar, vestir… ensinem também a proteger e cuidar do seu corpo,conversando com eles sobre todas as partes do corpo humano: para que servem, como protegê-las, usá-las, mantê-las limpas e evitar doenças. Se você tem dúvida de como conversar sobre esse assunto, procure ajuda na nossa associação, na escola, no posto de saúde, com médicos, psicólogos, assistentes sociais ou programas sociais.

 O objetivo desse site é alertar e esclarecer, de forma simples e resumida, os pais ou responsáveis sobre esse terrível problema que é o abuso sexual infantil. Infelizmente o Brasil é um dos países onde mais se pratica essa brutalidade. Acreditem, essa situação é mais real e comum do que se imagina. Não pretendemos esgotar todos os esclarecimentos necessários ao combate dessa barbaridade, forneceremos informações básicas. Mas pedimos aos pais que se interessem, leiam, estudem, troquem idéias, mas acima de tudo, AMEM, EDUQUEM e RESPEITEM a criança e o adolescente.

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) a pedofilia, além de crime,  é considerada  uma doença (CID 10 – F65.4) o que requer de todos nós uma atenção especial também aos abusadores, pois a grande parte deles afirma que sofreram abusos durante a infância. Desta forma o nosso trabalho de atenção as vítimas torna-se fundamental e urgente, para que no futuro não tenhamos números bem maiores de casos de abuso sexual infanto-juvenil. Estatísticas mostram que há cada oito minutos, uma criança sofre abuso sexual no Brasil. Até quando vamos conviver com esta triste realidade? Faça parte deste movimento.

 

Constituição do Brasil

Art. 227. É dever da família, da sociedade e do Estado assegurar à criança e ao adolescente, com absoluta prioridade, o direito à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária, além de colocá-los a salvo de toda forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão.

 

 
Apoio: